quarta-feira, 22 de junho de 2016

UM MARTINENSE TENTANDO UMA VAGA NO LEGISLATIVO MUNICIPAL CEARENSE

Com o apoio de Capitão Wagner, Damião Silva lança pré-candidatura a vereador, ao lado de Pedro e Bibi

Representando a sede do município, Damião Silva anunciou a sua Pré-candidatura a vereador pelo PR (Partido Republicano), que tem como presidente municipal Alberto Torres. Damião Silva é radialista, esteve a frente do programa 'Forró das antigas' da rádio Rio Acaraú FM durante um ano, e agora coloca o seu nome a disposição do povo do município de Tamboril. 





Damião Silva também afirmou todo apoio aos pré-candidatos Pedro Calisto e Bibi, que formam a principal frente de Oposição no município de Tamboril. Oposição essa que vem se fortalecendo a cada dia, em entrevista ao blog, Damião Silva afirmou que já tinha o aval do presidente Alberto Torres, então procurou o Deputado Estadual Capitão Wagner e conseguiu o seu apoio a sua pré-candidatura.
 



Capitão Wagner foi o Deputado Estadual mais votado do estado do Ceará nas eleições de 2014, recebeu votos em todos os municípios do estado e atualmente tem o seu nome como pré-candidato a prefeito da capital cearense. Damião nos informou que tem uma visita ao gabinete do Deputado Estadual agendada para esta quarta-feira(22), para mais uma conversa em busca de melhorias para o município de Tamboril e para articular sobre as eleições 2016.


Veja alguns registros de Damião Silva ao lado de autoridades e lideranças políticas municipais e estaduais: 


Deputado Federal José Guimarães
Deputado Estadual Carlos Felipe
Presidente Municipal do PT de Tamboril, Raimundo Martins

Vereador e pré-candidato a vice-prefeito, Bibi
Pré-candidato a Prefeito Pedro Calisto
Deputado Estadual Moisés Braz
Damião Silva nos estúdios da Rio Acaraú FM


NOTA DO BLOG NASERRA:

ESSE CARA MERECE SER ELEITO POIS HONRADEZ E SINCERIDADE É O SEU LEMA. PARABÉNS DAMIÃO SILVA E QUE DEUS LHE ILUMINE EM MAIS ESSA CAMINHADA. 

QUE O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO LHE PROTEJA E CONTINUE A GUIAR OS SEUS PASSOS.

NA LUTA SEMPRE



FONTE
Tamboril Notícias



POSTADO POR
Resultado de imagem para LOGO DO BLOG NASERRA

PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA JANOT

Renan: ‘Já arquivei cinco pedidos de impeachment contra Janot’. Será?

Resultado de imagem para rodrigo janot
Rodrigo Janot
Procurador Geral da República
No dia 7 de junho, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão preventiva do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por entender que ele havia tentado barrar o avanço da Operação Lava-Jato. Uma semana depois, ainda em meio à intensa repercussão do caso, Renan mandou um “recado” público. Disse que já havia arquivado “cinco pedidos de impeachment” contra o procurador-geral da República e que ainda avaliaria com cuidado a última representação recebida contra ele. 


Conforme disposto na Lei 1.079, todo brasileiro tem o direito de denunciar e solicitar o impedimento de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República. No trâmite de cassações desse tipo, a petição não passa pela avaliação da Câmara dos Deputados, como ocorre com os presidentes (e ocorreu há poucas semanas com Dilma Rousseff). Restringe-se à tramitação no Senado.

Recorrendo à Lei de Acesso à Informação, a Lupa rastreou todos os pedidos de impeachment feitos contra Janot até esta segunda-feira (20) e constatou que Renan exagerou ao mandar seu “recado”.

No total, nove pedidos de impeachment já foram protocolados no Senado contra o atual procurador-geral da República. Quatro – e não cinco deles – foram realmente arquivados por Renan. O que significa que ainda há cinco pedidos de impedimento de Janot tramitando no Congressohoje em dia. 

MAS QUEM TENTA IMPEDIR JANOT?

O senador Fernando Collor (PTC-AL) encabeça a lista. Desde maio do ano passado, Collor já assinou seis pedidos de impeachment contra Janot. Três deles continuam abertos.

A lista é um sinal claro do confronto que os dois travam há meses. Em maio de 2015, Janot pediu a quebra de sigilo do ex-presidente e atual senador por conta da Operação Lava-Jato. Em seguida, Collor chamou o procurador-geral de “chantagista”. Em agosto do ano passado, Collor foi à tribuna do Senado e, ao criticar Janot mais uma vez, oclassificou como uma “figura tosca”. Em janeiro, o procurador-geral pediu ao STF que cassasse o mandato do senador.

O deputado Paulinho da Força (Solidariedade-SP) é outro parlamentar que investiu contra Rodrigo Janot. Em maio do ano passado, apresentou um pedido de impeachment dele, mas viu sua representação ser derrubada pelo presidente do Senado dias depois.

Além dos dois parlamentares, há ainda um engenheiro mecânico e duas advogadas solicitando oficialmente o impeachment de Janot junto ao Senado. Os três – que protocolaram duas representações diferentes – acreditam que o procurador-geral cometeu crimes de responsabilidade no cargo. 


Confira abaixo os detalhes de todas as petições protocoladas contra Janot até a tarde de 20 de junho de 2016:



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 12 de maio de 2015

Situação: Foi encaminhada para instrução na Advocacia do Senado Federal. Aguarda parecer. 

Teor: Nesta denúncia, Collor questiona o fato de Janot ter aberto inquérito apenas contra alguns dos parlamentares citados na delação que o doleiro Alberto Youssef fez na Operação Lava-Jato. Para Collor, houve seletividade e negligência na conduta profissional do procurador.



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 12 de maio de 2015

Situação: Também aguarda parecer da Advocacia do Senado Federal. 

Teor: Para Collor, Janot abusou de seu poder e violou o princípio da independência dos Três Poderes ao mandar a Polícia Federal – e não a Polícia Legislativa – cumprir mandato de busca e apreensão na Câmara dos Deputados.



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 12 de maio de 2015

Situação: Arquivada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, em 25 de fevereiro de 2016. 

Teor: Nesta petição, Collor classifica a conduta do procurador-geral como autopromocionais e midiáticas, voltada para sua satisfação pessoal e, portanto, incompatíveis com a dignidade e o decoro do cargo. 



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 12 de maio de 2015

Situação: Arquivada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, no dia 26 de fevereiro de 2016.

Teor: Collor aponta possíveis abusos nas 32 mil viagens e diárias feitas pelos procuradores entre 2011 e 2015. Segundo o senador, as irregularidades estariam acontecendo “sob o olhar complacente e criminoso” de Janot.


5) Petição especial (sem link*)

Autor: Deputado Paulinho da Força

Protocolada em: 19 de maio de 2015

Situação: Arquivada em 9 de setembro de 2015. A inépcia da inicial e ausência de justa causa, conforme parecer da Advocacia do Senado, justificaram o pedido de arquivamento.

Teor: Indisponível para consulta. *Segundo nota da assessoria de imprensa do Senado, os documentos não podem ser acessados, pois se trata de uma petição protocolada diretamente na Presidência da Casa.



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 16 de junho de 2015

Situação: Arquivada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, no dia 26 de fevereiro 2016. 

Teor: Collor afirma que Janot nomeou uma funcionária sem ensino superior para ser sua assessora de cerimonial, ato que fere as normas da PGR. A alta escolaridade é exigida por lei para aqueles que ocupam cargo deste nível.



Autor: Engenheiro mecânico Celso Jorge de Godoy Junior

Protocolada em: 09 de setembro de 2015

Situação: Encaminhada para Advocacia do Senado Federal.

Teor: Segundo Godoy Junior, o procurador-geral da Repúbluca deve ser responsabilizado pelo descumprimento de prazos legais em processos em que está intrincado. Para ele, tal descumprimento viola a Constituição e deve ser enquadrado como crime de responsabilidade.



Autor: Senador Fernando Collor

Protocolada em: 03 de novembro de 2015

Situação: Encaminhada à Advocacia do Senado Federal no mesmo dia.

Teor: O senador denuncia Janot por improbidade administrativa em processo licitatório, segundo ele irregularmente firmado pela PGR, e ainda por recusa da prática de ato incumbido ao denunciado, decorrente das não providências cabíveis diante do conhecimento dos fatos. 



Autor: Advogadas Beatriz Sordi e Claudia Castro

Protocolado em: 15 de junho de 2016

Situação: Aguarda despacho da presidência do Senado

Teor: Segundo as advogadas, Janot teria agido de forma diferente com políticos do PT e do PMDB em situações análogas. O fato qualificaria comportamento desidioso e quebra de decoro.


Nota: Esta reportagem é uma colaboração especial da jornalista Clara Becker para a Lupa.



Por
CLARA BECKER


FONTE
http://piaui.folha.uol.com.br/


VIA
Resultado de imagem para LOGO DA FOLHA DE SAOPAULO


POSTADO POR
Resultado de imagem para LOGO DO BLOG NASERRA

quarta-feira, 8 de junho de 2016

MARTINS/RN SE PREPARA PARA O ARRAIÁ DA SERRA 2016

Prefeitura iniciou a decoração do Arraiá na Serra 2016









A Prefeitura de Martins, através da Secretaria Municipal do Turismo e Meio Ambiente, iniciou a Decoração do Arraiá na Serra 2016, no prédio do Museu Histórico e na Praça Almino Afonso, destacando-se o coreto.

A decoração abusa nas cores das chitas, alegrando todo ambiente, além de homenagear os 03 (três) SANTOS da igreja católica que são referência nos festejos juninos – Santo Antônio, São João e São Pedro.

O melhor arraiá da região tem início no dia 11 (sábado) de junho e seu encerramento no dia 01 (sexta) de julho, às 22 horas, com festa no coreto da Praça, ao som dos artistas Roberto Vanerão e Fabiano Show.


POR
Assessoria de Comunicação Social

FONTE
http://martinsdopovo.blogspot.com.br/


POSTADO POR
Resultado de imagem para NASERRA

MAIS DEMISSÕES PETISTAS

Temer manda acelerar demissões de petistas do segundo e do terceiro escalão
Alan Marques - 2.jun.2016/Folhapress


O presidente interino, Michel Temer, ordenou acelerar as demissões de servidores ligados ao PT que ainda ocupam cargos no segundo e terceiro escalão do governo.

Segundo a Folha apurou, a equipe do presidente interino pediu um levantamento do número de postos que ainda abrigam indicações consideradas políticas e orientou que os quadros petistas sejam substituídos o mais rápido possível.

Nas palavras de um auxiliar de Temer, os funcionários ligados ao partido da presidente afastada Dilma Rousseff que ainda permanecem em secretarias e diretorias "estão atrapalhando o andamento da gestão". "O clima é de guerra", sentenciou o assessor.

O discurso oficial é que as indicações políticas serão trocadas, preferencialmente, por nomes de perfil técnico, mas sabe-se que os cargos de segundo e terceiro escalão são um flanco muito cobiçado por partidos aliados, que desejam ocupar os postos para garantir mais espaço no governo.

GABINETE DE DILMA

Além de apressar a saída dos petistas que ainda estão em cargos-chave de sua gestão, Temer pretende revisar e cortar o número de postos que Dilma levou para trabalhar com ela no Palácio da Alvorada.

Antes de ser afastada do cargo, em 12 de maio, a petista deu sinais de que pretendia manter uma equipe de 12 a 15 assessores para auxiliá-la. Segundo levantamento da equipe de Temer, porém, Dilma acabou recrutando 36 cargos, sendo 31 do gabinete da Presidência e cinco ajudantes de ordem.

Surgiu então um problema. Temer acabou sem espaço para nomear seus assessores. Pior: Dilma levou os maiores salários e os melhores postos. Dos 31 cargos da Presidência, 16 estão no topo da remuneração.

Irritado, o presidente interino determinou que a Casa Civil fizesse um "estudo jurídico" para verificar se Dilma realmente precisava de todos esses auxiliares e, de acordo com a assessoria da petista, só na semana passada duas pessoas foram exoneradas e a expectativa é que novos nomes sejam cortados em breve.

Segundo auxiliares de Dilma, porém, a Presidência da República dispõe de 120 cargos e, portanto, Temer teria ainda 89 postos livres para nomeação. Além disso, dizem os petistas, o presidente interino pode fazer uso dos 40 cargos da vice-presidência que ainda estão à sua disposição.

A equipe de Dilma reclama das restrições do governo Temer e diz que o Planalto se recusa a pagar despesas de assessores que acompanham a presidente afastada em viagens pelo país. Da última vez que Dilma esteve em Porto Alegre, por exemplo, auxiliares precisaram pagar a hospedagem do próprio bolso.

O ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) acionou o Ministério do Planejamento para tentar encontrar uma saída para o problema.

Na semana passada, a Casa Civil divulgou parecer em que permite Dilma utilizar aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) somente quando viajar de Brasília a Porto Alegre, onde vivem seus familiares.

O advogado da petista, José Eduardo Cardozo, reagiu e protocolou nesta terça (7) ofícios no Planalto, no Senado e no STF (Supremo Tribunal Federal) para dizer que os cortes "constrangem" a defesa de Dilma. Segundo o documento, Dilma passaria a viajar de avião comercial ou via terrestre e sua segurança, nestes casos, seria de total responsabilidade de Temer.

Para cumprir agenda em Campinas (SP) nesta quinta-feira (9), porém, Dilma recuou e decidiu alugar um jato para fazer o deslocamento. Os custos serão pagos pelo PT e a justificava oficial foi exatamente a "questão de segurança".



POR
MARINA DIAS
DANIELA LIMA
DE BRASÍLIA


FONTE
Resultado de imagem para logo da folha de sp



POSTADO POR
Resultado de imagem para NASERRA