sábado, 20 de dezembro de 2014

CAPACITAÇÃO SOBRE A FEBRE CHIKUNGUNYA EM MARTINS-RN

Agentes de Endemias participam de capacitação sobre a febre Chikungunya





A Prefeitura de Martins, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou, na manhã desta quinta-feira, 18, na Sede da referida secretaria, capacitação com os Agentes de Endemias da cidade sobre “Chikungunya”.

A capacitação contou com a participação dos Agentes de Endemias da cidade de Serrinha dos Pintos, e foi ministrada pelo Técnico da FUNASA – Francisco Duarte.

Conheça a Febre ChiKungunya:

A febre chikungunya é uma doença viral parecida com a dengue, transmitida por um mosquito comum. Nos últimos anos, inúmeros casos da doença foram registrados em países da Ásia e da Europa. Recentemente, o vírus CHIKV foi identificado em ilhas do Caribe e na Guiana Francesa, país latino-americano que faz fronteira com o estado do Amapá.

O certo é que o chikungunya está migrando e chegou às Américas. No Brasil, a preocupação é que o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, mosquitos transmissores da dengue e da febre amarela, têm todas as condições de espalhar esse novo vírus pelo País. Seu ciclo de transmissão é mais rápido do que o da dengue. Em no máximo sete dias a contar do momento em que foi infectado, o mosquito começa a transmitir o CHIKV para uma população que não possui anticorpos contra ele.

Embora os vírus da febre chicungunha e os da dengue tenham características distintas, os sintomas das duas doenças são semelhantes.

Na fase aguda da chikungunya, a febre é alta, aparece de repente e vem acompanhada de dor de cabeça, mialgia (dor muscular), exantema (erupção na pele), conjuntivite e dor nas articulações (poliartrite). Esse é o sintoma mais característico da enfermidade: dor forte nas articulações, tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses depois que a febre vai embora.

“É importante que a população tenha os mesmos cuidados que já vem tendo com a Dengue para que esse novo vírus não se espalhe causando mais danos à saúde de nossa gente, por isso a capacitação dos nossos agentes de endemias, que são os orientadores na sociedade, é primordial para tentar evitar essa proliferação”, destaca Frank Andrei – Secretário Municipal de Saúde.


Assessoria de Comunicação Social


FONTE
http://martinsdopovo.blogspot.com.br/


POSTADO POR

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

SENADORA FATIMA BEZERRA

Fátima lembra do voto livre e promete empenho pelo RN

Senadora foi diplomada nesta quinta ao lado dos suplentes Jean Paul e Theodorico Neto.

                                                          Divulgação/Assessoria
"Eu sou eternamente grata ao povo do Rio Grande do Norte", garantiu Fátima.

A senadora Fátima Bezerra (PT) foi diplomada nesta quinta-feira (18) em solenidade no Centro de Convenções. Ao lado dos suplentes Jean Paul (PT) e Theodorico Neto (PCdoB), Fátima falou sobre democracia. "A diplomação é a celebração da democracia feita pelos órgãos que tem o papel de fiscalizar e zelar pela vontade livre e soberana do povo", destacou. 

Eleita com 808.055 - o que representa 54.84% dos votos - Fátima falou ainda sobre a gratidão pelo povo do Rio Grande do Norte. "Eu sou eternamente grata ao povo do Rio Grande do Norte", garantiu. 

Natural da cidade de Nova Palmeira, na Paraíba, é formada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Eleita Deputada Estadual por dois mandatos consecutivos em 1994 e 1998, Fátima seguiu carreira política como Deputada Federal desde 2003 e agora, senadora do Rio Grande do Norte.

Por
Gerlane Lima
Marília Rocha


FONTE


POSTADO POR

2º Natal das Crianças de Martins-RN

Prefeitura realizará o 2º Natal das Crianças

Imagem do evento em 2013

A Prefeitura de Martins, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizará, neste domingo, 21 de dezembro, às 16h30min, na Praça Almino Afonso, o 2º Natal das Crianças.

O evento trará muita alegria e diversão para toda criançada com as presenças do Papai Noel e Duendes distribuindo guloseimas, fazendo brincadeiras e pousando para fotos.

Vamos participar!


Assessoria de Comunicação Social


FONTE
http://www.martinsdopovo.blogspot.com.br/



POSTADO POR

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

REAJUSTE SALARIAL

Câmara aprova reajustes para presidente, ministros, parlamentares e procurador

Em votações rápidas e sem obstrução, os deputados aprovaram, há pouco, de forma simbólica, os projetos que reajustam os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), procurador-geral da República, deputados, senadores, ministros de Estado, presidente e vice-presidente da República. Os projetos precisam ser votados pelo Senado para que os reajustes passem a vigorar em 2015.

Imagem Ilustrativa
O reajuste dos ministros do STF e da Procuradoria-Geral da República (PGR) entra em vigor em janeiro do ano que vem e o dos parlamentares, em fevereiro, quando começa a nova legislatura. Os subsídios dos ministros do STF e do procurador-geral passam de R$ 29.462,25 para R$ 33.763,00 (valor menor que o pretendido, R$ 35.919,05). Já o dos parlamentares sobe de R$ 26.723,13 para R$ 33.763,00.

Dos três Poderes, o menor reajuste sera o do Executivo. Terça(16), o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, encaminhou ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ofício sugerindo que a remuneração do presidente, do vice-presidente da República e dos ministros de Estado seja fixada em R$ 30.934,70 mensais - atualmente, esse valor é R$ 26.700,00.

O subsídio de R$ 33.763,00, a ser pago a partir de janeiro aos ministros do STF e ao procurador-geral da República, será usado como teto para o funcionalismo público.


Brasília
Iolando Lourenço 
Repórter da Agência Brasil
Edição: Armando Cardoso


FONTE

POSTADO POR

REAJUSTE NA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA

Senado aprova correção em 6,5% da tabela do imposto de renda

Texto inclui temas como a renegociação das dívidas dos clubes de futebol.
Matéria segue agora para sanção da Presidência da República.

Imagem Ilustrativa/blog NASERRA
O Senado aprovou nesta quarta-feira (17) a Medida Provisória 656, com a inclusão de uma emenda que prevê reajuste de 6,5% na tabela do imposto de renda. A aprovação ocorreu horas após o texto ser chancelado pela Câmara. A matéria segue agora para sanção da Presidência da República.

O reajuste na tabela do Imposto de Renda foi proposto pela liderança do DEM na Câmara com base no IPCA. O objetivo da medida é compensar a perda inflacionária no ano. A correção, porém, é maior do que a desejada pelo governo, que defendia reajuste de somente 4,5%, equivalente ao centro da meta de inflação.

Durante entrevista coletiva nesta quarta no Palácio do Planalto, o ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini afirmou que o reajuste do imposto de renda para 6,5% "não era a posição do governo".


COMO FICARIA A TABELA DO IMPOSTO
DE RENDA COM CORREÇÃO DE 6,5%
Base de cálculo
Alíquota
Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98
isento
isento
De R$ 1.903,98 até R$ 2.853,44
7,5%
R$ 142,80
De 2.853,45 até R$ 3.804,64
15%
R$ 356,81
De R$ 3.804,65 até R$ 4.753,96
22,5%
R$ 642,15
Acima de R$ 4.753,96
27,5%
R$ 879,85

Caso a medida provisória seja sancionada pela presidente Dilma Rousseff sem vetos, pessoas que ganham até R$ 1.903,98 ficarão isentas de imposto de renda (veja na tabela ao lado). Atualmente, o teto de isenção é de R$ 1.787,77. O reajuste de 6,5% seria aplicado também nas demais faixas da tabela.

A correção da tabela era uma das promessas na campanha à reeleição de Dilma, mas possivelmente o reajuste seria mantido em 4,5%. Ainda durante o período eleitoral, uma medida provisória, a MP 644, que tratava do assunto, perdeu a validade.

Segundo parlamentares governistas, o Planalto havia sinalizado que enviaria um novo texto com proposta de reajuste na semana que vem, quando tem início o recesso parlamentar, para que só fosse analisado no ano que vem.

Votação

A aprovação no plenário do Senado ocorreu em sessão esvaziada, por meio de votação simbólica - quando não há contagem nominal de votos. Não foi feita modificação ao texto vindo da Câmara, o que exigiria que a matéria voltasse para análise dos deputados e impediria a aprovação no Congresso ainda neste ano.

Os senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) foram os únicos que se manifestaram contrariamente à proposta, devido à grande quantidade de conteúdo inserido no textio diferentes da MP original

No plenário da Câmara, o líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS), se esforçou para tentar barrar o reajuste na tabela do imposto de renda e fez um apelo para os deputados que não aprovassem a medida. “Diante do atual cenário econômico do país, este percentual não é o que o governo entende possível para alterar a tabela do imposto de renda”, afirmou Fontana.

Renegociação da dívida dos clubes e aviação

A medida provisória incluía outros temas, que já haviam sido aprovados. Entre as medidas, estão novas regras para a renegociação das dívidas de clubes de futebol e benefícios à aviação regional.

A proposta original da MP estabelecia normas de desoneração tributária para estimular a indústria nacional e impulsionar o mercado imobiliário, mas outras matérias acabaram sendo introduzidas no texto pelos parlamentares.

No caso dos times de futebol, o texto prevê um prazo de 20 anos para que as entidades desportivas quitem seus débitos com a União, com redução de 70% das multas isoladas, de 30% dos juros de mora e de 100% sobre o valor de encargo legal.

A medida é polêmica porque não exige dos clubes nenhuma contrapartida para coibir que voltem a contrair os mesmos débitos, o chamado "fair play" financeiro.

Aeroportos privados

Outra questão controversa é a inclusão da liberação da construção de aeroportos privados para voos comerciais. A medida facilita, por exemplo, a construção de um projeto bilionário em Caieiras, na região metropolitana de São Paulo. O empreendimento encontra resistência dos grupos que pagaram altos valores para arrematar as concessões dos aeroportos de Guarulhos e Viracopos.

A MP reduz também de 45% para 20% o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) incidente sobre armas de fogo e isenta os produtos do imposto, inclusive peças e munição, quando for para uso pessoal dos integrantes das Forças Armadas.

O texto ainda prorroga, até o fim de 2018, o regime de tributação de construtoras de habitações no programa federal Minha Casa, Minha Vida e prevê novo regime de tributação de bebidas como água, refrigerante e cerveja.



Do G1, em Brasília


POSTADO POR